segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Um passo maior que as pernas


Nessa sexta o "mundo" escolheu o Rio de Janeiro para sediar as Olimpíadas de 2016. Como tudo que acontece por aqui, a festa já começou pela manhã na Cidade Maravilhosa. Muitos shows, bebedeira, carnaval - todo dia é Carnaval. Além disso, havia a maior torcida de toda a mídia, quase enfiando nas nossas cabeças o quão maravilhoso é sediar uma Olimpíada - já vamos ter a Copa aqui, né?!
Pessoas chorando, felizes, sem acreditar naquilo que, para mim, era óbvio e completamente surpreendente ao mesmo tempo. Óbvio porque países ditos desenvolvidos não querem esse "abacaxi", estive no Canadá e eles não gostavam nem de lembrar que os impostos eram mais altos devido às construções feitas para as Olimpíadas que sediaram e que hoje não serviam para muita coisa. Surpreendente, porque - e novamente isso na minha singela opinião - não consigo imaginar um país ainda com tantas necessidades básicas para serem resolvidas conseguir sediar um evento desses, uma cidade com problemas seriíssimos de segurança pública trazer pessoas do mundo todo para testemunhar isso - sei, claro, que o Rio ainda é a cidade que mais recebe turistas do país, mas nem isto nem sua beleza extraordinária conseguem mudar a realidade da cidade.
Concordo com quem diz que esses tipos de eventos são para países ricos, com uma elite no esporte - e para isso toda rede de educação precisa ser organizada e eficaz - e com problemas como: analfabetismo, alto nível de pessoas vivendo na miséria, saúde pública precária, corrupção, etc. já superados. Ao menos bem amenizados.
Talvez esteja com uma visão muito pessimista, mas só consigo enxergar essas Olimpíadas de 2016 como mais um ópio para o povo (assim com o samba, a bebida, o carnaval) esquecer que passa fome, que não tem educação e muito menos saúde para envelhecer de forma saudável; é mais um meio dos nossos "representantes" ganharem seu complementos salariais, mais uma forma de todos se iludirem que o Brasil está rico, desenvolvido e sem problemas, mais um jeitinho brasileiro de colocar aqueles já marginalizados para debaixo do tapete.
Se eu estiver louca e completamente errada, ótimo, mas se não esse evento pode prejudicar ainda mais a imagem já distorcida do Rio de Janeiro lá fora e tornar o Brasil mero coadjuvante no meio de países já consagrados em Olimpíadas. E realmente quero ver como irão segurar os traficantes no morro...
Ainda temos um mês de muita Globo, Record, Veja e tudo mais falando sobre isso. Mas em 2016, quando nos lembrarmos disso novamente, volto a falar do assunto - mais indignada ou mais feliz, não sei.
Boa Copa e Olimpíadas para todos nós que nessas épocas, sim, somos brasileiros (e com orgulho!).

4 explosões:

Melanie B. disse...

Incrível ne??!Não pensei dessa forma que tão bem voce colocou no texto, mas também nao morri de felicidades, é um lance que mexe com estrutura da cidade toda e... kd os hospitas, escolas e creches?!!Me deu uma raiiiiva!E dizer que é assim mesmo já me dá nos nervos.Ah!Também tô doida pra ver como será o "esquema tático" dos traficantes do morro...
Pra cima Brasil amado!

Meu cabelo não nega disse...

Bom, concordo em quase tudo!

Mas vamos ser mais otimistas, né?

Dani disse...

Acho que vai trazer mais investimentos, por consequência mais empregos, por consequencia mais desenvolvimento. Os países desenvolvidos não querem as olimpíadas porque o "tão comentado legado" deixado por elas não é maior que os transtornos trazidos. Sim, porque é lógico que não são só flores. Mas, ainda assim, acredito que a transformação, no geral, será para melhor.

beijo rouge

Dani

raissa disse...

fiquei feliz pq esse eh uma das poucas maneiras de fazr cm que o povo brasileiro se sinta mais brasileiro realmente... mas temos mts problemas msm como tu falou... e cara, realmente, eu tbm pensei como diabos vao segurar aqueles 'vida loca 666' lá nos morros. eles vao fazr algum acordo? vao matar tds? vao implodir os morros? oO mas confessa que tu sentiu alguma coisinha qnd viu o Lula chorando, td vermelhinho e abraçando td mundo, td emocionado... eu ri e me lembrei daqueeeele Lula pobrezinho e trabalhador, que um dia achou que poderia passar de sindicalista a mero presidente... mas bem, os problemas são os problemas, vamos ver como aqueles loucos lá do Senado vão se virar pra solucioná-los...